Chega de ser macaco de auditório!

Chega de ser macaco de auditório!

domingo, 16 de janeiro de 2011

Poeira no vento!


Gesto Amelístico by Anna Gonçalez

O Rio de Janeiro continua sendo:
O nosso point de mini-férias, alvo de tragédias inimagináveis e um dos lugares mais amados do mundo!
As férias começaram com uma visita ao nada mais nada menos icônico Pão de Açucar...visita ao forte de copacabana e confeitaria Colombo do forte, planetário da Gávea em dia de apresentação do Ronaldinho no nosso amado Flamengo (não tivemos coragem de levar as crianças), Praia de Ipanema, passeios pelo Fórum, Sobral, Gilson Martins, M.A.C (MAKE UP) que para minha decepção não tinha nenhum de seus batons carro-chefe disponíveis tipo: SNOB,MORANGE, RUBY WOO ou RUSSIAN RED , um fiasco, vá lá!
Com tudo isso ao fim do dia o frisson dos que queriam saber o fim daquela porcaria que chamam de novela, interrompido por uma novela mais trágica ainda que se repete todos os anos.
Salvo apenas pelo Episódio "Construção" da Série "Amor em 4 Atos" da Rede BOBO.
Visita obrigatória ao OUTBACK para matar saudades do Cinammon Oblivion, a TOK STOK para comprar um POP 70 para meu banheiro e dar uma espiada nas "novis" (nada D+), uma ida básica ao cinema com amiga TDB (Fernandinha Burok direto do planalto dos "três podres poderes"/ DF) para assistir "De pernas pro ar" (Ingrid Guimarães - 3 estrelas) depois "sarta" pra IPA e cai na night, barzinhos à prova fomos parar na mais nova filial do VENGA! que é original do Leblon, mas abriu uma "puerta" na Garcia (D'avila), o bar foi aprovado desde a 1a edição...pelos críticos aí....eu digo que gostei, mas podia ter mais efervescência...nos comentários todos falaram das comidas cheias de lero-lero...eu gostei mesmo foi daquela tapa frita de Fillet Mignon que eles chamam de Bomba e eu carinhosamente apelidei de COXINHA DE FILLET MIGNON, a minha veio fria por dentro e pedi pra mandar outra (eles mandaram).
Outra boa é o PAn con tomate que eu chamei de bruschetta LIGHT....ela é no esquema da Bruschetta Itailana só que ao invés de ter os pedaços ela vem com o molho de tomate extratificado em cima e temperado com Flor de sal (espectáculo a parte para a flor de sal que abre o sabor e invade os sentidos, se não sabe oque é Google it e vá se informar); A Escaravillada também um prato muito diferente (uma lamina de berinjela, pimentão e cebola temperado com laminas de alho) e o creme catallan que poderiamos considerar um parente do Creme Brullée...essas foram as tapas que EU provei e aprovei...mais simples, menos rebuscadas, mas todos os dias eles servem Paellas no almoço e tem as mariscadas, polvos , crudos e um universo de TAPAS e beijos (se você for bem acompanhado) ;)
Ponto alto da 2a ida ao VENGA foi pé no mar de Ipa na calada da noite preta, e o marzão e aquela imensidão escura falando comigo o dialeto do chuá, chuá, tchibum!
Quando eu me aproximei do mar ele recuou. ai eu disse: Faz asim não....
eu vim aqui só pra te ter....fala comigo antes que seja tarde...então fui agredida carinhosamente com uma onda que me encheu de areia até os joelhos, dai eu disse VALEW! já posso ir!
"Não dê as costas pro mar!"
Visitas aos familiares, reflexões, e uma música não saiu da minha cabeça todo esse tempo: "Dust in the wind" cantada por vários intérpretes mas original dos anos 70 na voz do grupo KANSAS.
"Poeira ao vento, tudo que somos é apenas poeira ao vento"
A vida é uma sucessão de momentos que podem parar de suceder a qualquer momento !!!!
Algumas coisas me fizeram parar para refletir nesse refrão, não só uma tragédia em sí, mas o fato de que realmente vivemos como se a vida não tivesse fim...
Como se fôssemos eternos, essa foi uma das conversas com a minha amiga, tudo que a nós pertence é somente esse corpo que nos leva de lá pra cá em sã consciencia.
O resto é passageiro, transitório.
Temos de viver a vida como ela nos é apresentada, sem fugir !
"Se apaixone, ou se deteste"
Para confirmar e testar meus pensamentos a prova de fogo (ou a prova d'água) a minha máquina digital resolveu por mal ou por bem...apagar DO NADA, todo o registro dessas férias maravilhosas que eu acabei de descrever...ela simplesmente apagou TUDO, sem explicação plausível.
Eu pensei em chorar, colocar a culpa em alguem, xingar alguns nomes entre outras coisas, mas no meio dos pensamentos e da confusão que isso gerou eu pensei: Peralá...nós somos poeira!
Aquele momento passou, eu preciso viver este e não mais lamentar pelo momento perdido.
Não mais fotos, a vida não precisa ser fotografada, ela precisa ser vivida.
Ainda na sequencia dos acontecimentos bizarros e hilários desta viagem de férias está o fato de termos trazido por engano o sapato de nossa Ajudante do Lar (D. Lourdes 1000 perdões, quase 100 perdão rsrs).
Numa ligação ela me falou:
- Sabe , eu nunca fui ao Rio ao menos a minha sandália foi !
Nesse momento surgiu um pensamento AMELISTICO ("O Fabuloso destino de Amelie Poulain"),
Já sei vamos dar a D. Lourdes o momento que ela não teve, vamos fotografar sua sandália ao lado do Pao de Açucar :D
E assim terminam nossas pequenas férias no Rio (mesmo que por aqui ainda continuem de férias as crianças e eu enlouquecida).
Cheia de reflexões, de mistérios inexplicáveis e terapeuticos, de tragédias reais e fictícias...de aprendizado diário do desapego necessário, já que do Pó viemos e ao pó voltaremos.




4 comentários:

Dr. Andre. disse...

Ficou ótimo.

Espero que a sandália da D. Lurdes tenha passado protetor solar... :)

A vida deve ser fotografada, eu acho, porque a memória não é muito confiável, e lembrar da origem, dos caminhos que se tomou até aqui enche a vida de sentido e nos redireciona. Mas sem dúvida, não precisamos de passado se não temos um presente. E o futuro? É imaginação e esperança.

Bjs.
Andre.

Fernanda disse...

Adorei o post!

Vc sempre me emociona quando escreve sobre o nosso amado Rio!

Espero podermos repetir a dose sempre que puder...bjs, Fernanda.

Carol Burok disse...

Oi Ana,

Adorei seu post. Vc escreve muito bem, menina!
Beijoka nas crianças..

Carol

Ester Penha disse...

EUREKA. ACHEI O AVATAR FEMEA!!!!!!!!!!!!!!!!!
Minha sobrinha Claudia, o Criador te super-dotou, sua veia poetica não é amelistica mas corina.Você não me surpreende mais, só me dá a alegre certeza de pessoas maravilhosas existirem e se chamarem humanos. AMO VOCÊ, ao VIVO e à CORES, mesmo que a distãncia acinzente isso às vezes.Vida Longa a
Imaginação.